Brasil, Paraná, Tibagi

Cânion Guartelá: o número 1 do Brasil em extensão

E o 6º do mundo

O cânion Guartelá fica dentro do Parque Estadual do Guartelá. O parque foi criado em 1992 para proporcionar aos turistas a apreciação do maior cânion do Brasil e do sexto do mundo em extensão (32km).

O desfiladeiro apresenta cachoeiras de até 200m de altura, sendo cortado pelo rio Iapó e adornado por vegetações exóticas. O conjunto proporciona uma verdadeira obra da natureza, sendo difícil transcrever em palavras e, tampouco, em fotos a sua real beleza.

guartela
Foto by Filipe Bender.
guartela
Foto by Filipe Bender.

Ao caminhar pelas trilhas e mirantes do parque não cansamos de reiterar a beleza do lugar. Foi uma surpresa sensacional, uma verdadeira descoberta.

É o lugar perfeito para quem curte entrar em contato com a natureza, esquecer do mundo e perder a noção do tempo. Sequer há sinal de recepção de celular. Como uma conectada assumida, foi uma sensação de liberdade. Os únicos sons que acompanharam nossa caminhada foram os pássaros, a brisa e a correnteza da água.


Trilhas

São duas:

1. Básica

5km ida e volta, dura de 2h a 3h. Depende do condicionamento físico, ritmo de caminhada e, principalmente, de quanto tempo você vai querer ficar lá.

Ficamos umas 3h30m, porque ficamos de molho nos panelões, como você lerá abaixo.

2. Pinturas rupestres

+- 3h30m de duração. Esta trilha só pode ser feita com guia, mediante agendamento prévio. O caminho leva até pinturas feitas pelos primeiros desbravadores do Guartelá. Não fizemos esta trilha.

guartela
Foto by Filipe Bender.

Panelões

Os panelões ficam no meio da trilha básica (basta seguir a indicação das placas ao longo do caminho). São piscinas naturais, de água cristalina e gelada, onde o banho é permitido. Não deixe de ir. Ficamos +- 2h curtindo o sol. Têm alguns “buracos” nas rochas, criando verdadeiros “ofurôs” naturais. Muito top. Não queríamos sair. Até porque ontem estava muito quente e sol.

panelaoreduzida

guartela
Foto by Filipe Bender.

Atenção! Entre apenas nos panelões indicados pelas placas. Existem alguns em que a entrada é proibida.


Onde?

Rodovia Estadual PR 340, Km 42.

Entre os municípios de Castro e Tibagi, ambos no Paraná.


Como chegar?

O melhor jeito de chegar no Parque Estadual do Guartelá, onde fica o cânion de mesmo nome, é seguir pela rodovia que interliga Ponta Grossa à Castro e Castro à Tibagi.

Passando a entrada de Castro (não entre na cidade), pegue a saída 288 sentido Tibagi (à esquerda). Seguir reto por mais 42km. O acesso ao parque será pela direita, basta seguir a orientação das placas. Não tem erro: a prova disso? Fomos sem gps e conseguimos!

A nossa viagem durou aproximadamente 2 horas. Nem sentimos passar, pois a paisagem ao longo do caminho parece o fundo de tela padrão da Microsoft. Terrenos verdes, céu azul, poucas nuvens e algumas plantações coloridas no meio do caminho.

Demos sorte com o clima, já que nosso outono só começou na teoria. Na prática estamos vivendo um verão estendido. Para a nossa alegria haha. Ou para a minha pelo menos.


Dias/horários de funcionamento?

De quarta à domingo e feriados nacionais, das 8h às 16h30m.


Quanto?

Não é cobrada taxa de entrada. Você leu direito! O maior cânion do Brasil é gratuito.


Pedágios?

Existem três, partindo de Curitiba.

1º pedágio: R$7,60.

2º pedágio: R$10,80.

3º pedágio: R$9,00.

Total: R$27,40.

O pedágio é o fator que pesa no bolso… Mas, o fato de não ter cobrança de entrada, acaba deixando “elas por elas”.


Dress code

Roupas e sapatos confortáveis, roupa de banho por baixo, boné e óculos de sol. Existem trilhas de madeira planas, mas as rochas e os panelões são, por óbvio, pedras. Logo, há desníveis e irregularidades em muitas partes.


O que levar?

Muda de roupa caso não queira ficar com a roupa molhada depois de entrar na água. Toalha, repelente e protetor solar. O mais importante, ainda, é levar água e comida, vez que não há nenhuma lanchonete no local. Existe uma fonte de água potável para reposição.

Item quase mais importante que bebida e comida: máquina fotográfica! Parece óbvio, mas lembre-se que não há tomadas em lugar nenhum. Não confie apenas em uma fonte de foto. Vá equipado com celular, câmera digital, gopro, de filme, polaroid… você vai ficar louco de tantas fotos que vai querer tirar. Confie em mim miga/migo.


Maiores informações

http://tibagiturismo.com.br/como-chegar/

http://trilhasguartela.com.br/site/index.html


Espero que tenha curtido nosso programa de Tiradentes. Ele pode ser feito em qualquer feriado ou final de semana. Não é porque tem crise que vamos deixar de viajar, basta valorizarmos o turismo brasileiro. Estou conhecendo cada vez mais do turismo paranaense e estou adorando. Assim que tenha novidades vou compartilhando aqui no blog. Why not Guartelá?

Advogada por profissão, escritora por hobby e viajante por paixão.

6 COMENTÁRIOS

  • Adorei esta matéria!!!! Que delicia este lugar, fiquei com muita vontade de ir conhecer!!! As fotos ficaram incríveis!!! Parabéns Aninha!!! O Blog tá Top !!!

    Responder
    • Obrigada Sté!! Fiquei feliz que tenha gostado e, mais ainda, que tenha despertado a sua vontade de conhecer!! Vale muito a pena!! Beijão

      Responder
  • Boa Aninha! Excelente dica para curtir um final de semana diferente. Gostei da ideia e é realmente fascinante saber que tudo isso é nosso, e que fica pertinho. Obrigado pela dica!

    Responder
    • De nada! O objetivo foi (e é) justamente esse: mostrar como o Paraná reserva lugares incríveis que merecem ser visitados. Passeio top que pode ser feito tranquilamente em um fds. Beijos!

      Responder
  • Eu já estive no Guartelá há muitos anos e esse post me deu muita vontade de voltar! O lugar é muito lindo, realmente vale a pena!! Parabéns pelo post !!!

    Responder
    • Obaa, que bom Pri 🙂 O objetivo do blog é justamente despertar a vontade nos viajantes e “viajantes to be” hehe. Obrigada, fica de olho que hoje tem mais sobre o turismo paranaense!! Beijão

      Responder

ESCREVA UM COMENTÁRIO