, Rio de Janeiro,

(Português) Rio 2016 pela atleta Gabriela Bender

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

A torcedora da Rio 2016 que se prepara para vestir a camisa brasileira em Tóquio 2020

Para encerrar os posts sobre os Jogos Olímpicos que terminaram ontem (para a nossa tristeza), compartilho o relato de uma forte candidata a nos representar nas Olimpíadas de Tóquio em 2020. 

“Quando a Ana me questionou sobre as Olimpíadas respondi sem titubear que foi uma das melhores experiências da minha vida. Sou uma atleta gaúcha, tenho 18 anos, sou campeã brasileira de atletismo em minha categoria nas provas de 1500 e 3000 metros, esporte que eu amo de paixão, e prático desde os meus 12 anos. E como todo atleta, tenho o sonho de representar meu país no maior evento esportivo do mundo: as OLIMPÍADAS. Ser atleta significa estar sempre na luta pelos índices que as Federações mundiais de cada modalidade estabelecem, o que não é nada fácil. Temos que nos limitar desde muito jovens, diariamente, mas posso afirmar que vale muito a pena, e tem suas enormes vantagens! Com grande entusiasmo e emoção eu conto a vocês que presenciei, vivenciei e vibrei muito na torcida pelo Brasil e por nossos países descendentes nas Olimpíadas RIO 2016. Foi lindo viver o espírito olímpico no meu país, um grande presente proporcionado pelas minhas tias Oyara Lucho, Suzana Lucho e Cristina Lucho (grandes mulheres) que assim como eu, amam esporte!

Atletismo no Engenhão durante a Rio 2016.
Da esquerda para a direita: Gabi, Oyara e Suzy.

Nossas aventuras na Rio 2016 tiveram partida na modalidade Atletismo no Estádio Olímpico Engenhão, onde vimos grandes atletas e recordistas mundiais darem o sangue para representarem da melhor forma seus países. Foi de arrepiar! Nós vibramos muito a cada ultrapassagem de um atleta brasileiro, a cada lançamento ou passagem no salto com vara.

Revezamento 4X100m masculino no Estádio Olímpico, o famoso Engenhão, durante a Rio 2016.
Revezamento 4X100m masculino no Estádio Olímpico, o famoso Engenhão.

Revezamento 4X100m masculino no Estádio Olímpico, o famoso Engenhão, durante a Rio 2016.

Ver de perto aquela torcida enorme gritar “Brasil” foi uma das partes que mais nos empolgaram, porque nos sentimos parte daquilo, impulsionando e motivando os atletas. Tenho certeza que eles se sentiram grandes mediante seus adversários, o que os levou a desempenharem melhores performances. Junto com toda aquela galera na torcida, conhecemos pessoas novas, praticamos outros idiomas, ou seja, vivemos outras culturas em solo brasileiro, no país das várias etnias e da mistura de raças. Foi demais!

Parque Olímpico na Barra da Tijuca, durante a Rio 2016.
Oyara e Gabi no Parque Olímpico na Barra da Tijuca.

No segundo dia foi a vez de conhecer o famoso Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, quando tivemos a oportunidade de assistir a ginástica rítmica. Minha tia Suzy e eu o nomeamos de  ‘balé esportivo’, por ser clássico, elegante e lindo de ver com um público bastante diversificado. Quanto aos atletas, alguns se mostraram muito concentrados, outros portavam figurinos divertidíssimos, e todos estavam alegres, incumbidos da missão de contagiar a torcida!

Parque Olímpico na Barra da Tijuca, durante a Rio 2016.

Parque Olímpico na Barra da Tijuca, durante a Rio 2016.
Da esquerda para a direita: Tias Cris, Oyara, Suzy e Gabi no Parque Olímpico.

O mais legal foi ver pessoas torcendo não só por seus países, mas também por outros, movidos pela paixão pelo esporte e o que ele representa: a evolução de um atleta que batalhou para estar ali, buscando a perfeição nos mínimos detalhes para obter a nota almejada. Ali pudemos perceber o grande reconhecimento do público e respeito pelos atletas.

O figurino das atletas nos encantou, mas o que mais nos impressionou foi a forma com que cada um executava suas séries. Vislumbrar o resultado do seu trabalho árduo de anos, desde estarem na pontinha dos pés até o sorriso estampado no rosto, a leveza e a delicadeza de cada salto e os giros com os instrumentos (bambolé e bola).

O que mais me chamou a atenção quando fizeram a apresentação das ginastas, foi a idade em que iniciam seus treinos. Elas decidem dedicar-se ao esporte muito jovens, com apenas 6 ou 7 anos, treinando muitas horas por dia. Foi inesquecível assistir aquelas meninas de perto efetuando série de gente grande. Além disso, foi uma oportunidade única de aprender mais sobre este belíssimo esporte.

No nosso terceiro e último dia de Rio 2016, fomos para o Maracanãzinho conferir o Vôlei Feminino na luta pelo Bronze (Holanda X EUA). Confesso que nunca tinha visto um jogo de vôlei tão acirrado como o que vimos, grandes equipes em uma partida equilibradíssima. Minha Tia Oyara honrou com sua descendência e torceu pelas meninas da Holanda, já a tia Suzy e eu fomos pelas meninas americanas. Discutimos, rimos e gritamos muito, estávamos num clima olímpico fantástico como nunca antes.

A abertura da partida foi incrível, com muitas luzes, organização impecável e ideias maravilhosas. A maior torcida foi para a Holanda e haviam muitos brasileiros torcendo pelas “laranjinhas”, mas fiquei bastante decepcionada com as vaias para as americanas, achei desnecessário. Porém, isso não as desmotivou de forma alguma, as meninas VENCERAM com vantagem em relação às holandesas, muito merecido.

Quanto à organização dos Jogos Olímpicos do Rio, achei tudo maravilhoso, não tenho do que  reclamar. O transporte, a alimentação e, principalmente, os voluntários estão de parabéns, auxiliavam com todo prazer e vontade possível.

Para completar minhas parceiras de viagem e aventura foram excelentes, jamais esquecerei, uma grande lembrança e experiência, conhecendo a cidade MARAVILHOSA em clima de olimpíada!!!! Pode ter certeza que lutarei muito para estar representando meu país na próxima Olimpíada em Tokyo 2020!!!”

Maracanãzinho.
Gabi na arquibancada no Maracanãzinho.
parqueolimpicorio2016
Da esquerda para a direita: Suzy, Oyara e nossa atleta Gabi.

Sensacional contar com a colaboração de uma atleta brasileira jovem e determinada a se classificar para os Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020! Leitores guardem este nome: Gabriela Bender para torcerem por ela na próxima Olimpíada! Muito obrigada pelo relato Gabi e toda a sorte do mundo para torcer por você em 2020!

Enquanto a próxima não chega vamos nos preparar por nossa delegação de peso das Paralimpíadas!! Ingressos disponíveis aqui: https://ingressos.rio2016.com/rio2016.html?affiliate=PGF&doc=search&fun=search&action=filter

Os Jogos Paralímpicos começam no dia 07/09 e vão até o dia 18/09! O Comitê postou um vídeo promocional incrível no Facebook: https://www.facebook.com/ComiteParalimpico/videos/1259215787451848/

Advogada por profissão, escritora por hobby e viajante por paixão.

2 COMMENTS

  • Que show!!!!!!

    Reply
    • Muito top né? 2020 partiu torcer para a Gabi !!

      Reply

WRITE A COMMENT