LIVE, Novidades, USA

Faculdade nos EUA

O que fazer?

O 6º episódio do Why not Live deu o que falar sobre faculdade nos EUA.

O carioca Yuri Flach, graduado em Relações Internacionais e com MBA em Comércio Exterior (FGV), ambos concluídos no Brasil, não estava feliz com a área na qual estava trabalhando e resolveu mudar. 

Não só de curso, como de ares, literalmente. Com uma experiência prévia na bagagem, saiu de Florianópolis, onde residia, e foi para os EUA cursar Psicologia.

A decisão surgiu do combo: insatisfação profissional X já ter morado anteriormente nos Estados Unidos.

Graduation!
Graduation!

Muita gente se identificou com o Yuri que dividiu a sua história para ajudar quem também está querendo tomar esse rumo. Let’s go!

Quero estudar nos EUA, e agora?

Antecedência

Nos States tudo funciona à base das applications e as universidades não fogem à regra. Aplicar para algo é como inscrever-se, candidatar-se. E como tudo na vida existe um prazo fatal para tal. O Yuri recomenda entre 8 e 9 meses antes.

Isso mesmo! Não é coisa para decidir da noite para o dia!

Seleção de Universidades

Escolha sua área/curso de interesse. No caso do Yuri, Psicologia, ele recorreu ao bom e velho sábio Google para descobrir quais universidades ofereciam este curso. Depois da filtragem inicial, procurou quais estados tinham melhores condições, qualidade de vida, custo de moradia, etc.

O Yuri estudo na NSU, na Flórida. Ao fundo fica a faculdade do campus, a maior da Flórida, com 6 andares!
O Yuri estudou na NSU, na Flórida. Ao fundo fica a biblioteca do campus, a maior da Flórida, com 6 andares!

Com algumas instituições pré-selecionadas deu o start ao processo, o que nos leva ao terceiro passo.

Documentos 

Os requisitos de application variam um pouco, vá aos sites dos estabelecimentos eleitos e leia atentamente quais são eles. No geral, são necessários:

  • Passaporte em dia, com visto de estudante;
  • Comprovante de renda, justamente para demonstrar que o candidato tem condições financeiras para arcar com os custos acadêmicos e de estadia, por pelo menos de 1 a 2 anos. Caso você não tenha a grana, é permitido o “paitrocínio” ou qualquer outra pessoa disposta a te bancar. Esta pessoa do bem é chamada de “sponsor” (patrocinador). Para isso, porém,  exige-se uma carta do banco com a assinatura do sponsor atestando que vai pagar a conta;
  • Exame de proficiência na língua inglesa. O aceito nos EUA é o  TOEFL, o qual consiste em 5 fases: escrita (writing), compreensão auditiva (listening), gramática (grammar), compreensão de texto (reading comprehension) e oral (speaking). Atenção! A nota mínima depende da Universidade, pesquise antes!
  • Cartas de recomendação de professores, coordenadores de pesquisa e/ou chefes. Quantas e em qual formato dependerá da faculdade também;
  • Carta de motivação, a sua pessoal sobre você e o motivo de querer ser aceito. (Reitero: destrinche os sites para saber bem o que eles gostam de “ler”);
  • Currículo (curiosidade: ter feito trabalhos voluntários dá um up no cv! Além de ser uma atitude maravilhosa, não é?).

TOEFL

A preparação pode ser feita em uma escola de inglês especialista no assunto ou sozinho. O Yuri recomendou este livro feito exclusivamente para treinar para o TOEFL:

https://www.amazon.com/Official-Guide-TOEFL-Test-CD-ROM/dp/0071766588/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1479857080&sr=8-1&keywords=TOEFL

Quais locais realizam as provas e quando vocês descobrem aqui:

https://www.ets.org/pt/toefl/ibt/register/centers_dates

Como decidir a faculdade?

As universidades nos EUA são ranqueadas por curso, pesquise a partir disso aqui: 

http://grad-schools.usnews.rankingsandreviews.com/best-graduate-schools

Dicas práticas 

Study HARD! Nos EUA não existe extensão de prazo, professor pegando na mãozinha dos alunos e aulinha mastigada. Aprenda a se organizar, no começo do semestre os professores disponibilizam uma ata e caberá a você, solito, criar seu calendário de estudos para cumprir tudo. O sistema é mais rigoroso e mais difícil. que o brasileiro. Tenha disciplina.

Antes que se assustem, encerrarei com o motivo pela qual, vale a pena todo esse “sofrimento”…

Meritocracia!

Os bons alunos são incentivados e agraciados quando “excell”: atingem a excelência.

O reconhecimento se dá mediante a entrega de prêmios, medalhas, menções honrosas nos periódicos universitários. O Yuri é prova viva disso:

NSUgrad
Prêmio azul (Outstanding Student) foi dado para os dois melhores alunos do College (uma espécie de Departamento), no caso dele, o mais próximo seria o de Humanas. De 800 e poucas pessoas que se graduaram, 12 receberam esse prêmio, 2 por departamento. Parabéns Yuri!!

 

psychology
Publicação nos livros entregues a todos os formandos e convidados com os nomes de quem esta se graduando, e uma pequena biografia dos “Outstanding Students”. Não é para qualquer um, né?

Sobre as medalhas, deixarei o Yuri explicar: “Quando as pessoas se formam aqui, elas usam acessórios, como aquelas faixas, medalhas, etc. Eu usei 3 faixas e 3 medalhas, sendo que cada 1 representa uma Honor Society. A faixa amarela que fica por cima, escrita Honor, foi dada aos 12 melhores alunos de toda a faculdade (Outstanding students)”.

Impressionante, ein?

Todo esse esforço traduzido em prêmios, medalhas e publicações ajudam no ingresso nos graus superiores, e, de quebra, embeleza seu currículo, levando a enormes chances de sucesso no mercado de trabalho.

O Yuri está agora cursando o Pós Doutorado. Certamente teve as portas abertas devido ao seu excelente desempenho na graduação.

Espero que tenham curtido as dicas! Para conhecer tudo na íntegra não deixem de assistir ao live!

Advogada por profissão, escritora por hobby e viajante por paixão.

2 COMENTÁRIOS

  • Excelente matéria, parabéns

    Responder
    • Muito obrigada <3

      Responder

ESCREVA UM COMENTÁRIO