Novidades, USA, Washington, D.C.

Spirit Airlines: vale a pena?

Minha experiência com a Spirit Airlines

Foi amor à primeira vista entre a Spirit Airlines e eu. Meu namorado e eu queríamos muito conhecer Washington DC e como já estaríamos em Miami, há apenas 2h e 20m da capital americana, why not? Buscas ao doutor Google me levaram à Spirit. O componente responsável pela química instantânea por ela? O preço camarada.

Confesso que cedi ao encanto do design descolado do site também. Todo mundo tem seu fraco vai! 

Como toda paixão efervescente, tão logo surgiu, esfriou.

Para cumprir com o padrão “low cost” a companhia norteamericana cobra por todos os extras. Defina “extras”, perguntam vocês, why not packers. Por “extras” leia-se: cada partícula de oxigênio inalada pelas narinas dos passageiros e filtradas pelos seus respectivos pulmões dentro do avião.

Brincadeiras à parte, a companhia cobra não somente pelas bagagens despachadas como pelas bagagens de mão. Isso mesmo! Nem com os truques de mestre de smart packing da Eliane você sairá vitorioso.

Como tudo que está ruim pode piorar, o que não seria diferente tratando-se de uma decepção amorosa, o valor pela carry on é superior ao da checked bag.

Decepcionada, resolvi dar uma chance à Spirit e tentar fazer dos limões uma limonada.

Arrumei tudo em uma mala média para ser despachada. Matemática nunca foi meu forte, mas minhas sinapses cerebrais conseguiram captar que o preço equivalente à 2 malas de mão (uma minha e uma do Filipe) é  > (a boca do jacaré fica para o lado do número maior?!) que o referente à 1  mala despachada. 

Para o nosso voo, Ft. Lauderdale – Baltimore/Washington cada carry-on custava 45 dólares por “perna”, enquanto 1 mala despachada, 42 dólares por trecho. 1 mala despachada para os 2 compensou mais do que levar duas de mão.

Equação resolvida.

Eis que surgiu o segundo momento “oh oh” do nosso relacionamento: cobrança para marcação dos assentos. 

Aí meu coração partiu de vez. Cada lugar tinha um preço, variando de acordo com a localização na aeronave.

Juntei os caquinhos do maior músculo do meu corpo e optei pelo mais barato (9 dólares na ida e 9 na volta).

Ao todo 84 dólares de prejuízo (mala + 4 assentos + taxas).

Confira como funcionam as normas e preços aqui: https://www.spirit.com/OptionalServices

Cheguei ao aeroporto de Ft. Lauderdale com aquela mágoa de todo compromisso próximo ao fim.

Porém, aos poucos, a Spirit foi tentando me reconquistar.

A começar pelo comissário atencioso, de bom coração e espírito natalino que salvou nosso embarque.

Há 2 minutos do horário previsto para o embarque, a fila virando na esquina, ele nos resgatou. Imprimiu nossos tickets (já havíamos feito o check in online) e nos lançou na boca do caixa para despachar nossa mala. Depois de outra atendente rápida, um merry christmas e trocas de sorrisos fomos para o controle de segurança.

Mais velocidade, bom atendimento e merry Christmas e aterrizamos nossos corpinhos pesados da ceia de véspera com folga no portão G10.

Na conferência dos tickets, uma surpresa natalina: o funcionário – de terno festivo – nos ofereceu assentos na saída de emergência.

spirit2

Free! Como não haviam sido vendidos, precisavam de candidatos em caso de acidentes.

Neste momento meu coração amolecido estava prestes à ceder.

As poltronas com espaços maiores que o normal são bem mais confortáveis do que as outras.

spirit

Ponto para a Spirit!

Ao entrar no avião todo amarelo por fora, novinho por dentro, poltronas de couro e aeromoças vestidas à caráter, entendi o porque da paixão inicial.

spiritairplane

Ainda colocando na balança os prós e contras, uma das aeromoças, uma senhora parecida com a mamãe noel veio conversar e explicar as funções da saída de emergência com calma, paciência e bom humor. Às 7h! E ainda falava português muito bem. Olhem que fofa:

 

Comissária Spirit Airlines.

 

 

Quando o piloto veio com aqueles anúncios corriqueiros e “chatos”, não pude conter o sorriso que já estava querendo sair.

Nunca viajei com um piloto tão animado e engraçado.

Fez várias piadas e até citou o Justin Bieber.

Reiterou que todas as bolsas, mochilas e afins deveriam ser alocados nos bagageiros acima das poltronas independentemente de serem Gucci, Prada ou Louis Vuitton.

Nos felicitou pelo Natal e pediu coro natalino.

Momentos antes da decolagem cantou (sim) em ritmo de música natalina algo assim – em tradução literal -: “Encostem suas cabeças na poltrona, fechem os olhos e finjam que estão na Delta (?!)”. 

A cereja do bolo foi ao pousarmos ele ter anunciado: “Welcome to Hawaii, shit happens”. Haha. O voo era de Ft. Lauderdale para Baltimore (Maryland).

E ainda disse: “if you smoke, quit. Just kidding, wait for the airport’s smoking area”. (“Se você é fumante, pare. Brincadeira, espere chegar à área reservada aos fumantes no aeroporto.

Mandou um super Merry Christmas seguido da versão original completa de “Jingle Bell Rocks”.

Relevei, em clima de Natal, os pontos “fracos” da Spirit e resolvi valorizar os bons: atendimento, bom humor, clima festivo, aeronave e tripulação. 

Viajaria de novo com ela sim. Mas, para curtas distâncias, pois a comida e bebida são cobradas e não há televisores individuais.

Para o meu voo Ft. Lauderdale-Baltimore, 2h apenas, foi ótimo.

Sugiro, todavia, colocar na ponta do lápis se vale a pena em relação às outras companhias, considerando: preço para marcação dos assentos, por bagagem e por serviço de bordo (tudo é cobrado à parte).

Digno de lembrança: é comum nos Estados Unidos a cobrança por marcação de assento e bagagem despachada, não sendo a Spirit uma exceção.

Ela difere das outras por cobrar também pela bagagem de mão.

Maiores informações: https://www.spirit.com/

 

Feliz Natal para todos e fiquem de olho no Why not Pack tomando conta de Washington DC! Já teve vídeo live direto de lá no Facebook!

 

Obama says hi!!

 

Why not fly Spirit?

Advogada por profissão, escritora por hobby e viajante por paixão.

4 COMENTÁRIOS

  • Ana Paula,

    “”Para o nosso voo, Ft. Lauderdale – Baltimore/Washington cada carry-on custava 45 dólares por “perna”, enquanto 1 mala despachada, 42 dólares por trecho. 1 mala despachada para os 2 compensou mais do que levar duas de mão.” “”
    –>>>Vocês pagaram $42 pra ida e volta? E quanto à cobrança por assentos, é somente pra escolha ou pra todos assentos disponíveis?!?
    Estamos com reserva de Fort Lauderdale pra NY e também seremos calouras.
    E quanto à franquia pra bagagem de mão até 40x35x30 cm?!?

    Se possível me responda tb por email.

    At,

    Responder
    • Tania, nós pagamos 42 dólares na ida (Ft. Lauderdale – Baltimore/DC) e tbm na volta (Baltimore/DC – Ft.). Ao todo foram 84 dólares pelo despacho de 1 bagagem de mão.
      A mala de mão custava 45 dólares ida e 45 volta. Como teríamos que levar 2 (1 mala de mão cada), seriam 180 dólares ao todo. Por isso optamos por levarmos 1 mala despachada para os dois, entendeu? Desculpe se ficou confuso!
      Quanto à cobrança dos assentos: todos são cobrados. Alguns são mais caros dependendo da localização no avião. Nós escolhemos os assentos mais baratos: 9 dólares ida e 9 dólares volta.
      A franquia para bagagem de mão são essas medidas que passou, mas no nosso caso ninguém mediu e sequer pesou.
      Espero ter ajudado!
      Qualquer coisa não hesite em me perguntar!

      Boa viagem!!

      Responder
      • Muuuutito obrigada!!! Você nos foi bastante solícita e de grande valia!!! Parabéns pelo blog!!!

        Responder
        • De nada Tania!! Que bom que consegui ajudá-los!! Obrigada!! Boa viagem e feliz Ano Novo!! Compartilha o blog para seus amigos 😉

          Responder

ESCREVA UM COMENTÁRIO